Quero contar para vocês como foi a minha experiência com a nova série da Netflix, #GIRLBOSS, bem como com o livro homônimo, escrito por Sophia Amoruso. Eu realmente não sei o que aconteceu, mas ele não chamou a minha atenção logo de cara. Quando o livro virou febre no Brasil, principalmente no final de 2015 e começo de 2016, eu simplesmente não estava nem aí para ele. É claro que li diversas resenhas positivas sobre os ensinamentos de Sophia, mas o livro realmente não chamou a minha atenção naquele momento. E acho que foi uma coisa positiva, já que eu definitivamente não estava pronta para ele na época.

 

“Uma #GIRLBOSS é alguém que é responsável pela própria vida.
Ela consegue o que quer porque trabalha para isso.”

 

Se você não sabe do que eu estou falando, #GIRLBOSS é um livro escrito por Sophia Amoruso, CEO da Nasty Gal, um site de vendas de roupas que já chegou a valer 100 milhões de dólares. Mas não é isso que impressiona, e sim o fato de que Sophia criou um negócio de sucesso do nada, ainda aos 22 anos. Começou vendendo roupas vintages que adquiria em brechós no eBay e hoje é CEO de uma empresa que conta com mais de 350 funcionários. Também foi destaque na Forbes como uma das 60 mulheres mais ricas que construíram sua fortuna sozinhas.

 

Quando eu disse que não estava pronta para o livro há um ano atrás, é verdade. Eu não teria consigo assimilar os ensinamentos de #GIRLBOSS com tanta facilidade porque simplesmente não estava nenhum pouco familiarizada com termos como empreendedorismo e negócios. Eu realmente não sabia o que isso realmente significava até bem pouco tempo atrás, pelo menos não até precisar lidar com tudo o que envolve ser uma garota de negócios, ser responsável pelas próprias decisões e por sua vida financeira.

 

Eu comprei o livro há pouco mais de uma semana e o devorei em um único dia assim que chegou. Perto de estrear a série na Netflix, decidi que não dava mais para adiar e comprei o livro. O que foi bom, porque praticamente vi a série e li o livro ao mesmo tempo. E, sinceramente, ambos não poderiam ser mais diferentes um do outro.

 

“Foque nas coisas positivas da sua vida e você vai ficar chocada
com quantas coisas novas positivas começarão a acontecer.
Mas antes de começar a achar que você simplesmente teve sorte,
lembre-se que é “mágica”, e que foi você quem fez.”

 

 

No livro, Sophia conta um pouquinho sobre a sua jornada empreendedora e dá várias dicas para você garota que também quer ser dona do próprio nariz, quer ser uma #GIRLBOSS. São coisas que ela aprendeu durante a vida, como empreendedora e como ser humano. Dicas que eu considero realmente valiosas e que, mesmo que algumas delas pareçam tão comuns, são como um tapa na cara, um choque de realidade, sabe? Ao contrário da série, que fez tudo parecer tão simples e tão fácil, tornar-se CEO de uma empresa de milhões de dólares não foi fácil para Sophia. Aliás, não é fácil para ninguém.

 

“… sempre desconfiei que eu estava destinada,
e era capaz de algo maior.
Esse algo acabou sendo a Nasty Gal, mas quer saber?
Eu não encontrei a Nasty Gal, eu a criei.”

 

A série faz um retrato quase pitoresco da jornada de Sophia, com humor e drama quase sem rédeas, na justa intenção de manter o telespectador vidrado episódio atrás de episódio. Afinal, é um produto baseado em uma história real e, como a própria série anuncia, com muita licença poética. Infelizmente, ficou parecendo fácil e rápido, como se a fada madrinha balançasse a varinha mágica para uma Sophia sem nenhuma experiência dentro de um quartinho lotado de roupas de brechó e embalagens sem fim e ela imediatamente se tornasse um empresária bem sucedida.

 

Minha dica? Encare a série como uma comédia dramática para ver e se divertir e leia o livro se quiser aprender alguns bons ensinamentos de uma garota que construiu uma marca milionária do zero, antes dos 30 anos. Simples assim.

 

E você, já leu #GIRLBOSS? Viu a série? Conta para mim o que achou de ambos!

 

Compre o livro clicando aqui.

Compartilhe:
Você vai gostar de ler também:
Post escrito por:

24 anos, interior de São Paulo. É formada em Engenharia Civil e atualmente cursa pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Criou o Casinha Arrumada para falar das coisas que mais ama e compartilhar histórias. É apaixonada por decoração, livros, músicas e séries de TV. Siga nas redes sociais: Instagram - Facebook - YouTube - Pinterest

A Josy Indica: melhores livros lidos em Fevereiro

Como fazer Torta de Banana | Receita fácil e deliciosa!

Escreva um comentário

2 comentários para “O que eu achei de #GIRLBOSS, o livro e a nova série da Netflix”

  1. 06/05/2017 às 19:09

    Sabe que vi um ou outro episódio mas não gostei, achei adolocente demais pro meu gosto.
    Vou comprar o livro como nova tentativa.
    Bjo

    • 07/05/2017 às 13:33

      É, a série até é boa, mas deixa muito a desejar em comparação ao livro, Eli! Leia, sim! Acho que você vai gostar! 🙂