Filme: Amor à segunda vista

por Inara Souza      23/02/2015       Comente

 

Eu gosto muito de comédias românticas. São historinhas recheadas de clichê, é claro, mas que, ainda assim, encantam e divertem quando não precisamos de nada além do que relaxar. A semana por aqui foi bem corrida por causa de faculdade (que já começou com tudo!), por isso, na quinta-feira, tirei algumas horinhas para descansar. Escolhi Amor à segunda vista por causa do elenco de peso: Hugh Grant (Um Lugar Chamado Notting Hill) e Sandra Bullock (Miss Simpatia). E, apesar do enredo batido, consegui me divertir bastante e dar boas risadas.

 

 

Lucy Kelson (Sandra Bullock) é uma advogada brilhante. Formada em Harvard com grandes honras, ela decidiu seguir os passos dos pais e lutar pelo bem da comunidade. Tudo começa quando Lucy tenta a qualquer custo impedir a demolição de um prédio antigo em Nova York. Apesar de seus protestos, o prédio é demolido para dar lugar a um grande e moderno edifício. Apesar de tudo, Lucy não desiste. Quando descobre que o centro comunitário será demolido também, ela vai atrás de George Wade (Hugh Grant), um dos donos das empresas Wade, responsáveis pela demolição, disposta a fazê-lo mudar de ideia.

 

Rico, lindo e charmoso, Wade sempre teve tudo o que quis. Rapidamente, ele convence Lucy dos benefícios de trabalhar para ele (o que inclui a proposta de não demolir o centro). No entanto, no decorrer do tempo, George começa a ficar cada vez mais dependente das opiniões de Lucy – e começa a transformar a vida dela num inferno. Depois de ser retirada a força do casamento da melhor amiga porque George precisava dela para escolher um terno para uma premiação, ela decide se demitir.

 

Antes de partir, porém, Lucy precisa encontrar alguém para substituí-la. A linda ruiva June (Alicia Witt) parece perfeita para o cargo: formada em Harvard, ela logo demonstra uma quedinha pelo chefe. Na opinião de Wade, é simplesmente perfeita. Mas isso não dura muito tempo. Logo ele percebe que, em algum ponto no meio do caminho, acabou se apaixonando por Lucy. E que é dela que ele precisa.

 

 

Eu consegui me divertir bastante com o filme. Algumas cenas são realmente hilárias. Hugh interpreta bem o “menino rico”, que sempre teve tudo o que quis na palma das mãos. Sandra Bullock faz o que ela faz de melhor: interpretar. Adoro absolutamente todos os filmes dela – Bullock é o tipo de atriz que dá um show qualquer que seja o papel.

 

O único ponto negativo, ao meu ver, é que faltou química entre os atores. Não consegui encarar Lucy e George como almas gêmeas que se encontravam por acaso e se apaixonavam pouco a pouco. Isso porque o filme se passa num período de tempo relativamente grande (um ano), mas dando saltos imensos, impedindo que o telespectador acompanhe o amadurecimento deles, a aproximação entre eles, até Lucy revelar-se imprescindível para George.

 

O enredo é bonitinho – e só. Dá para dar boas risadas e relaxar, mas não espere muito mais. Os atores são incríveis, mas eu penso que a história não foi muito bem contada, resultando em uma comédia romântica mais para comédia que para o romance. Infelizmente.

 

Quer mais indicações de filmes legais para assistir? Clique aqui.

Post escrito por:

22 anos, interior de São Paulo. É recém-formada em Engenharia Civil e atualmente cursa pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Criou o Casinha Arrumada para falar das coisas que mais ama e compartilhar histórias. É apaixonada por decoração, livros, músicas e séries de TV. Siga nas redes sociais: Instagram - Facebook - YouTube - Pinterest

Filme: Minha Querida Anne Frank

Meus 5 casais favoritos dos filmes

Escreva um comentário