P.S. Eu te amo por Cecelia Ahern
Título Original: P.S. I love you
Autora: Cecelia Ahern
ISBN: 978-85-8163-062-5
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368
Leia o 1º capítulo.

 

Eles se conheciam desde os 14 anos. Amavam-se verdadeiramente. Estavam destinados a ficarem juntos para sempre, quando o destino decidiu intervir e separou-os da forma mais brusca possível. Da pior forma. Da única forma contra a qual eles não poderiam lutar. A morte. Gerry morreu, vítima de um tumor na cabeça, deixando Holly devastada. Mas, após meses de dor e sofrimento, Holly descobre que ele não se foi realmente. Não realmente. Gerry, como havia prometido a ela há muito tempo, fez-lhe uma lista. Uma lista de tarefas a cumprir. A lista era a forma que ele havia encontrado de ajudá-la na difícil tarefa de continuar vivendo sem ele. A única forma que ele encontrara de permanecer ao lado dela um pouquinho mais. De lutar contra a injustiça de partir tão cedo. De deixá-la, quando eles ainda tinham tanto a viver…

 

“O plano deles era bem simples. Queriam ficar juntos até o fim da vida. Um plano que qualquer pessoa de seu círculo de amigos julgaria possível de realizar. Eles eram melhores amigos, amantes e almas gêmeas destinadas a estarem juntas, na opinião de todos. Mas, infelizmente, um dia, o destino mudou de ideia vorazmente.” [pág. 7]

 

Realmente, é quase impossível escrever essa resenha sem sentir um aperto quase insuportável no peito. Imaginar, apenas imaginar, a dor de perder alguém a quem se ama tão verdadeiramente é quase perturbador demais. Imagine estar no lugar de Holly, vendo a doença levar embora tudo o que ela sempre havia amado em seu marido, vê-lo lutar desesperadamente pelo seu direito de permanecer ao lado dela, vê-lo definhar na frente dela, sem poder fazer nada para parar aquilo, parar a dor dele, parar a doença que parecia cada vez mais perto de levá-lo para longe dela… Imagine permanecer dia após dia ao lado dele no leito, cuidando-o e amando-o cada dia mais, temendo permanecer apenas um segundo, um segundo apenas, longe dele, um segundo em que ele podia simplesmente fechar os olhos para sempre…

 

Holly largou o emprego para permanecer ao lado de Gerry durante o tempo em que ele passou doente na cama. Ela largou tudo para passar aqueles últimos momentos ao lado dele, e eles aproveitaram cada segundo até que, um dia, ele fechou os olhos para sempre, sendo que a última coisa que vira fora os olhos dela, incentivando-o a fazer a passagem, livrando-o do medo de partir, sabendo que ali estava alguém que jamais deixaria de amá-lo.

 

E então ele se fora para sempre, e ela se vira sozinha e perdida na casa onde tudo, cada objeto, lembrava a vida que eles haviam sido impedidos de viver… Onde cada poeirinha parecia zombar dela, lembrando-a de que ele se fora, de que os planos deles haviam sido bruscamente retalhados… Elas jamais saberia se Gerry teria sido um bom pai ou não. Ela jamais saberia o que seria envelhecer ao lado dele. 

 

Como conviver com uma dor tão grande? Holly esqueceu-se de si mesma e tentou afogar a dor com os seus sonhos. Porém, conforme o aniversário de 30 anos dela se aproxima, seus amigos decidem que já é hora de Holly deixar o luto e voltar a tomar banho, vestir-se e se alimentar, pelo menos. E é quando Holly encontra um maço de cartas endereçadas a ela. Cada carta havia sido assinalada com um mês do ano. Cada carta representava uma tarefa deixada por Gerry para mostrar a ela que a vida continuava e que, mesmo que ele tenha partido, ela ainda estava viva e devia seguir em frente. E que ele sempre estaria lá para ela. Por ela. Para sempre.

 

“A vida toda dele amontoada em 20 sacos de lixo.
As lembranças dele e dela guardadas na mente de Holly.

Cada item guardava poeira, lágrimas, risos e lembranças. Ela guardou todos, limpou a poeira, secou os olhos e arquivou as lembranças.” [pág. 102]

 

É impossível não se emocionar com essa história. É impossível impedir que as lágrimas deixem seus olhos conforme você avança na leitura desse livro e vive cada uma das aventuras, dores, tristezas e alegrias da nossa personagem, Holly, com ela. Uma mulher como todas nós, que teve a sorte de encontrar o amor verdadeiro ainda muito cedo, mas que precisou vê-lo partir também muito cedo…

 

P. S. Eu te amo, escrito por Cecelia Ahern e relançado no Brasil pela editora Novo Conceito (o livro foi lançado no Brasil originalmente em 2005), é um livro simplesmente maravilhoso. Eu amei a história, amei cada um dos personagens, amei a mensagem deixada pelo livro… Amei o modo como Cecelia conseguiu mesclar dor e alegria, riso e lágrimas em cada uma das passagens desse livro, atingindo com isso cada cantinho profundo dentro de mim…

 

Os personagens do livro são de uma veracidade que encanta. Holly, por exemplo, é uma mulher como qualquer uma de nós, que tem amigos verdadeiros (e outros nem tanto), que ri e que chora, que as vezes quer enterrar a cabeça no travesseiro e esperar que toda a dor esvaneça de uma vez só e também quer lutar pela própria felicidade com unhas e dentes…

 

Cecelia Ahern escreve com emoção e clareza. Com certeza, ela entra para a lista de autores favoritos apenas com esse livro. Uma história tocante que fala de amor, amizade, comprometimento, coragem para seguir adiante, aceitar as adversidades da vida e lutar pela própria felicidade… 

 

“Ela havia recebido um presente maravilhoso: a vida. 
Às vezes, a vida era interrompida cedo demais, 
mas o que contava era o que a pessoa fazia com ela, 
não o tempo que durava.” [pág. 359]
 

Post escrito por:

22 anos, interior de São Paulo. É recém-formada em Engenharia Civil e atualmente cursa pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Criou o Casinha Arrumada para falar das coisas que mais ama e compartilhar histórias. É apaixonada por decoração, livros, músicas e séries de TV. Siga nas redes sociais: Instagram - Facebook - YouTube - Pinterest

Identidade_Roubada_WEB

Identidade Roubada por Chevy Stevens

A_LISTA_NEGRA_1331344331P

A Lista Negra por Jennifer Brown

Escreva um comentário

9 comentários para “P.S. Eu te amo por Cecelia Ahern”

  1. 22/10/2012 às 12:08

    Oie!
    Eu tenho medo de ler esse livro, pq sei que vou chorar horrores!!! Tem um filme não é? Eu assisti e não consegui me conformar com a morte dele, imagina lendo o livro que tudo é mais visceral…
    Mas tenho muita curiosidade, acho que gosto de me torturar kkkkkk
    Bjocas e boa semana

  2. 22/10/2012 às 14:12

    Esse livro é lindo, emocionante, tocante e muito profundo. Não chorei, mas não significa que não tenha sentido um aperto no peito com toda a dor de Holly. Mas o melhor de toda a leitura é que a autora conseguiu mesclar momentos tristes e felizes, situações que me fizeram rir bastante e não deixaram a leitura ser só drama e tristeza.

    Beijos
    Caline – Mundo de Papel

  3. 22/10/2012 às 14:36

    Oi Náh!

    Eu ainda não li esse livro o.O

    Recordo que chorei um pouco quando assisti o filme, acho que vou chorar muito com o livro kkkkk

    Bjs!

  4. 22/10/2012 às 17:07

    Não li o livro, mas vi o filme, chorei muito e tenho medo de chorar quando ler o livro. ='(

    Ess elivro é muito lindo, recomendo!

    Beijos
    http://devoradoradelivro.blogspot.com.br

  5. 22/10/2012 às 22:44

    Ah esse livro é pura emoção mesmo. Eu também adorei 🙂

  6. 23/10/2012 às 12:02

    Olá.
    Acabei de incluir o link do seu blog no meu Seguidores de Blogs (http://seguidoresdeblogs.blogspot.com.br/2012/10/ler-dormir-comer.html). Nos faça uma visita, assim que possível. Deixamos um versículo bíblico para sua reflexão.
    Abraços.

  7. 23/10/2012 às 23:14

    Lindo lindo… eu amoooo esse livro amoo mesmo, é um dos melhores… =D

  8. 26/10/2012 às 18:45

    Esse livro é muito tocante mesmo. Quer dizer, não sei, pois vi o filme e me emocionei muito…

    Só conserte uma coisa: o livro não foi lançado pela Novo Conceito e sim RElançado. Ele já exisitia aqui no BR.

    Beijos!
    http://www.vireapagina.com

    • 26/10/2012 às 18:57

      Ei, Natália! Eu não sabia disso… Fui pesquisar e descobri que ele foi lançado originalmente em 2005… Puxa, obrigado mesmo pela dica! Já está corrigido! 😉