Resenha do livro A Elite por Kiera Cass

 

Título Original: The Elite
A Seleção #2
Autora: Kiera Cass
ISBN: 9788565765121
Editora: Seguinte
Tradução: Cristian Clemente
Páginas: 354

 

 

A Elite é o segundo volume da trilogia A Seleção, um romance distópico que se passa num cenário de pós-guerra e de muitas lutas pelo poder. A sociedade é dividida em castas representadas por números que vão do 1 ao 8, e o regime todo é feito de injustiças sociais, sendo que a casta número Um representa a monarquia e a número Oito, a população mais miserável. Uma das formas de ascender socialmente é por meio da Seleção, quando o príncipe escolhe sua esposa por meio de um concurso que seleciona garotas de todo o país, independentemente da casta. Em A Seleção, conhecemos America e como ela foi parar no castelo, tornando-se uma das participantes do concurso quase sem querer. Se você ainda não leu o primeiro livro, clique aqui para saber mais sobre a história.

 

A resenha pode conter spoiler do primeiro livro da série, A Seleção.
Se você ainda não leu o primeiro livro, clique aqui.

 

Em A Elite, restam apenas 6 garotas no castelo dispostas a conquistar o coração de Maxon e a coroa. Elas fazem parte da Elite e todas são Dois agora. America é uma delas, embora ainda não esteja tão certa quanto à permanecer na disputa. Apesar de seus sentimentos por Maxon, e o fato deles se tornarem mais fortes a cada dia, ela não se sente capaz de tomar nas mãos uma responsabilidade tão grande quanto a de se tornar a próxima princesa de Illéa. Não fosse isso, ainda há Aspen e toda a história que eles viveram juntos e que ela é incapaz de esquecer. Enquanto os ataques ao castelo pelos rebeldes se tornam cada vez mais frequentes e violentos, America precisa lutar para encontrar o seu lugar e descobrir o que de verdade existe em seu coração.

 

Apesar dos livros serem classificados como distopia, o enredo é bastante focado no romance. Eu já havia comentado sobre isso antes, na resenha do primeiro livro da trilogia, e A Elite segue o mesmo ritmo. Há uma introdução sobre a história de Illéa, bem como alguns acontecimentos que se referem à situação política atual do país, mas o romance ainda continua sendo o foco da trilogia. Em A Elite, você continua apaixonada pelo Maxon, passa a odiar o Aspen um pouquinho mais e querer agarrar a America pelos cabelos por tanta impulsividade e dúvidas idiotas. Aliás, impulsividade é o sobrenome dela e isso garante algumas passagens verdadeiramente incríveis, divertidas e perigosas também.

 

É engraçado pensar que a série não tem nada que de fato seja assim extraordinário. O enredo é comum e até clichê e a parte distópica do livro é inegavelmente mal explorada. Mas há alguma coisa, eu não sei bem o quê, que prende você ao livro de uma maneira quase mágica. Não há como deixar de torcer por Maxon e America, não dá para não querer rir e ao mesmo tempo dar uns bons sopapos na America por dizer as coisas mais impróprias, irritantes e impulsivas… simplesmente não dá. Se você começa a ler, não consegue parar. Simples assim.

 

A Elite especialmente vem recheado de momentos de parar o coração. É até confuso: o livro vem num ritmo morninho até que um único acontecimento vira tudo de pernas para o ar. E há pelo menos dois momentos assim aqui. Aguenta coração, viu? O final, porém, é um pouquinho parado, mas abre brechas importantes para A Escolha, o último livro da série. Que eu já comecei a ler, é claro!

Post escrito por:

22 anos, interior de São Paulo. É recém-formada em Engenharia Civil e atualmente cursa pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Criou o Casinha Arrumada para falar das coisas que mais ama e compartilhar histórias. É apaixonada por decoração, livros, músicas e séries de TV. Siga nas redes sociais: Instagram - Facebook - YouTube - Pinterest

Simplesmente Ana por Marina Carvalho

Almas Gêmeas por Elizabeth Chandler (Beijada por um anjo #3)

Escreva um comentário

6 comentários para “A Elite por Kiera Cass (A Seleção #2)”

  1. 06/06/2014 às 20:23

    Eu queria mais o lado distópico da história, poderiam ter colocado algo a mais na questão do começo de Illéa, a trilogia me prendeu, mas não curti muito, por mais que eu seja apaixonada pelo Maxon :3

    beijos
    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    • 07/06/2014 às 12:42

      Concordo com você, Giovana! Eu estava com esperanças de que “A Escolha” tratasse mais da distopia em si, mas pelo que comecei a ler, não está sendo tanto assim também! É como você disse: a trilogia prende a gente, é uma história gostosa de ler, mas se a autora tivesse tido um pouquinho de cuidado a mais na hora de caracterizar Illéa, a série teria sido um sucesso ainda maior!

      Beijos e obrigada pelo comentário, viu? 🙂

  2. 06/06/2014 às 20:43

    oi Inara, em breve eu vou ler esse livro, quero só adquirir o livro de contos pra ir em uma sequencia lógica! estou cheia de expectativas para essa leitura!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    • 07/06/2014 às 12:44

      Que delícia, Thaila! Acho que você vai acabar gostando como eu, mas tente ler sem muitas expectativas quanto ao reino de Illéa e sua história, porque nesse quesito a série deixa a desejar bastante! Mas o romance é fofo! 🙂

  3. 06/06/2014 às 20:52

    Essa trilogia é emocionante demais!
    Adorei a resenha e desejo que você leia logo A Escolha
    Beijinhos
    Rizia – Livroterapias

    • 07/06/2014 às 12:44

      Eba! Já estou lendo, Rízia! Logo conto o que eu achei!

      Beijinhos! 🙂