Resenha do livro A Seleção, escrito por Kiera Cass

 

Título Original: Selection
A Seleção #1
Autora: Kiera Cass
ISBN: 9788565765015
Editora: Seguinte
Tradução: Cristian Clemente
Páginas: 368

 

A Seleção estava na minha lista de desejados há algum tempo já. Eu havia lido resenhas extremamente animadas e positivas e estava louca de curiosidade sobre a história. Acontece que o tempo foi passando e eu acabei deixando o livro de lado. Mas recentemente foi anunciado o lançamento do terceiro livro da série, A Escolha, e foi então que eu decidi que precisava ler essa trilogia de uma vez por todas. E o que posso dizer depois disso? Devorei o primeiro livro em um dia e logo emendei a leitura de A Elite. E agora estou louca de amores por essa série e quero ela completinha na minha estante logo!

 

Trata-se de uma história distópica que se passa num cenário de pós guerra e de muitas lutas pelo poder. O novo país chama-se Illéa e a sociedade é dividida em castas representadas por números. A monarquia é representada pelo número Um. Assim sucessivamente, as castas mais próximas de Um são as mais abastadas e as mais próximas de Oito, as mais miseráveis. America é uma garota da casta Cinco, dos artistas, e sua verdadeira vocação é a música. Enquanto outros buscam desesperadamente galgar a escala social, America está feliz assim, onde está. Ela ama o seu trabalho e também Aspen, um garoto Seis e, portanto, proibido para ela. Em Illéa, uma garota não se casa com um garoto de uma casta inferior. Além disso, há toda a burocracia para se casar entre castas diferentes. Mas isso não os impede de se encontrarem escondidos durante dois anos e sonharem com um futuro juntos. Mas num lugar onde a fome é constante e as pessoas precisam lutar diariamente pela sobrevivência, esse amor está fadado ao fim.

 

É por causa da preocupação de Aspen em ser incapaz de dar a ela um futuro que America aceita fazer parte da Seleção. Ela não acredita mesmo que será uma das escolhidas, então não há motivos para não participar. Principalmente se isso fará Aspen feliz. De qualquer forma, America acha aquilo tudo um absurdo. Participar de uma espécie de concurso que decidirá quem será a próxima princesa de Illéa ao casar-se com o príncipe Maxon, alguém que ela nem mesmo conhece? O cara é mesmo assim incapaz de encontrar uma namorada por si mesmo?! America preenche o formulário mesmo assim e as coisas em sua vida mudam completamente de lugar quando ela se torna uma das escolhidas, uma das participante da Seleção. America e outras 34 garotas permanecerão no palácio real pelo que podem ser dias, meses ou anos para disputarem o amor do príncipe e a coroa. Mesmo sem querer, ela decide participar sabendo que isso dará a sua família algumas semanas de conforto pelo dinheiro que receberão em troca de sua participação e “prestação de serviços à coroa”.

 

É aí que a nossa história começa e acompanhamos a jornada de America, uma garota extremamente espontânea e vibrante, uma personagem que verdadeiramente se torna parte da história e nos faz torcer por ela. Além de divertida, America é aparentemente a única garota no palácio que não quer as atenções do príncipe Maxon e não deseja a coroa por conseguinte. E sua impulsividade vai deixar a história ainda mais interessante e gostosa! Principalmente quando ela se encontra cara a cara com o príncipe, que promete não ser nada daquilo que ela pensava ou esperava que ele fosse!

 

Apesar de ser uma distopia também, o enredo de A Seleção é bem diferente do que encontramos em Jogos Vorazes. Aqui, o romance toma foco principal e as disputas pelo poder e críticas à sociedade servem apenas de pano de fundo para a história. A Seleção é um livro previsível, sim, sem muitas reviravoltas ou momentos de parar o coração da gente, mas possui uma narrativa tão deliciosa e fluida que é quase impossível não gostar ou deixar de torcer pelos personagens.

 

O triângulo amoroso que se forma é delicioso de acompanhar e com certeza a Kiera Cass tem a mão para escrever romances. As coisas não se tornam previsíveis demais ou mornas demais como em outros livros, distópicos ou não, que eu já li. O desenvolvimento do relacionamento entre Maxon e America é bastante curioso e divertido e você acaba lendo tudo assim, sem parar, com a sensação de que as horas nem passaram realmente. A Seleção é, portanto, um livro delicioso de ser lido e que vale mesmo muito a pena!

Compartilhe:
Você vai gostar de ler também:
Post escrito por:

24 anos, interior de São Paulo. É formada em Engenharia Civil e atualmente cursa pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Criou o Casinha Arrumada para falar das coisas que mais ama e compartilhar histórias. É apaixonada por decoração, livros, músicas e séries de TV. Siga nas redes sociais: Instagram - Facebook - YouTube - Pinterest

A Pousada Rose Harbor por Debbie Macomber

Interligados – Aden Stone e a Batalha Contra as Sombras por Gena Showalter (Interligados #1)

Escreva um comentário

2 comentários para “A Seleção por Kiera Cass (A Seleção #1)”

  1. 13/05/2014 às 19:26

    estou louca para ler, mas mesmo sem ler sou TEAM Maxon!!!!
    adoroooooooooooo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

  2. 01/07/2014 às 22:54

    Faz um tempinho que eu estou querendo ler essa trilogia e finalmente consegui comprá-la. Não vejo a hora de começar a minha leitura. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/