Quero contar para vocês como foi a minha experiência com a nova série da Netflix, #GIRLBOSS, bem como com o livro homônimo, escrito por Sophia Amoruso. Eu realmente não sei o que aconteceu, mas ele não chamou a minha atenção logo de cara. Quando o livro virou febre no Brasil, principalmente no final de 2015 e começo de 2016, eu simplesmente não estava nem aí para ele. É claro que li diversas resenhas positivas sobre os ensinamentos de Sophia, mas o livro realmente não chamou a minha atenção naquele momento. E acho que foi uma coisa positiva, já que eu definitivamente não estava pronta para ele na época.

 

“Uma #GIRLBOSS é alguém que é responsável pela própria vida.
Ela consegue o que quer porque trabalha para isso.”

 

Se você não sabe do que eu estou falando, #GIRLBOSS é um livro escrito por Sophia Amoruso, CEO da Nasty Gal, um site de vendas de roupas que já chegou a valer 100 milhões de dólares. Mas não é isso que impressiona, e sim o fato de que Sophia criou um negócio de sucesso do nada, ainda aos 22 anos. Começou vendendo roupas vintages que adquiria em brechós no eBay e hoje é CEO de uma empresa que conta com mais de 350 funcionários. Também foi destaque na Forbes como uma das 60 mulheres mais ricas que construíram sua fortuna sozinhas.

 

Quando eu disse que não estava pronta para o livro há um ano atrás, é verdade. Eu não teria consigo assimilar os ensinamentos de #GIRLBOSS com tanta facilidade porque simplesmente não estava nenhum pouco familiarizada com termos como empreendedorismo e negócios. Eu realmente não sabia o que isso realmente significava até bem pouco tempo atrás, pelo menos não até precisar lidar com tudo o que envolve ser uma garota de negócios, ser responsável pelas próprias decisões e por sua vida financeira.

 

Eu comprei o livro há pouco mais de uma semana e o devorei em um único dia assim que chegou. Perto de estrear a série na Netflix, decidi que não dava mais para adiar e comprei o livro. O que foi bom, porque praticamente vi a série e li o livro ao mesmo tempo. E, sinceramente, ambos não poderiam ser mais diferentes um do outro.

 

“Foque nas coisas positivas da sua vida e você vai ficar chocada
com quantas coisas novas positivas começarão a acontecer.
Mas antes de começar a achar que você simplesmente teve sorte,
lembre-se que é “mágica”, e que foi você quem fez.”

 

 

No livro, Sophia conta um pouquinho sobre a sua jornada empreendedora e dá várias dicas para você garota que também quer ser dona do próprio nariz, quer ser uma #GIRLBOSS. São coisas que ela aprendeu durante a vida, como empreendedora e como ser humano. Dicas que eu considero realmente valiosas e que, mesmo que algumas delas pareçam tão comuns, são como um tapa na cara, um choque de realidade, sabe? Ao contrário da série, que fez tudo parecer tão simples e tão fácil, tornar-se CEO de uma empresa de milhões de dólares não foi fácil para Sophia. Aliás, não é fácil para ninguém.

 

“… sempre desconfiei que eu estava destinada,
e era capaz de algo maior.
Esse algo acabou sendo a Nasty Gal, mas quer saber?
Eu não encontrei a Nasty Gal, eu a criei.”

 

A série faz um retrato quase pitoresco da jornada de Sophia, com humor e drama quase sem rédeas, na justa intenção de manter o telespectador vidrado episódio atrás de episódio. Afinal, é um produto baseado em uma história real e, como a própria série anuncia, com muita licença poética. Infelizmente, ficou parecendo fácil e rápido, como se a fada madrinha balançasse a varinha mágica para uma Sophia sem nenhuma experiência dentro de um quartinho lotado de roupas de brechó e embalagens sem fim e ela imediatamente se tornasse um empresária bem sucedida.

 

Minha dica? Encare a série como uma comédia dramática para ver e se divertir e leia o livro se quiser aprender alguns bons ensinamentos de uma garota que construiu uma marca milionária do zero, antes dos 30 anos. Simples assim.

 

E você, já leu #GIRLBOSS? Viu a série? Conta para mim o que achou de ambos!

 

Compre o livro clicando aqui.

Eu não sei se vocês sabem, mas atualmente faço pós-graduação em Arquitetura de Interiores. Sou formada em engenharia civil, mas sempre fui apaixonada pela decoração, sabe? Então, quando terminei a faculdade, decidi que queria estudar interiores.

 

Nas aulas, conheci a Thais. Ela é arquiteta e virou uma grande amiga. Em uma aula, a professora propôs que fizéssemos um projeto de interiores dos quartos uma da outra, baseado em como gostaríamos que o ambiente fosse e da nossa necessidade atual. Eu fiz o projeto do quarto da Thais e mostrei todos os detalhes lá no meu Instagram (depois posso mostrar todo o projeto aqui no blog também, se vocês quiserem). E a Thais fez o projeto 3D do meu quarto, depois de um briefing comigo em sala de aula.

 

O resultado ficou tão incrível que eu pedi autorização para ela para compartilhar com vocês aqui no blog! Eu simplesmente amei as soluções que ela encontrou para a falta de espaço, sem falar que ela conseguiu captar muito bem um pouquinho do que eu mais gosto e criar um espaço lindo e confortável, tanto para servir como dormitório mesmo, quanto como local de trabalho e de gravação (para os vídeos do canal).

 

 

Ela partiu da criação de uma estante suspensa capaz de abrigar com conforto todo os meus livros, que hoje ultrapassam 400. Como vocês sabem, eu tenho aquela estante que eu mesma fiz gastando bem pouquinho, mas que infelizmente ainda é muito pequena para a quantidade de livros que eu tenho. Por isso amei demais esse móvel com estante suspensa e escrivaninha com gaveteiro que ela criou! Ao espaço, ela ainda adicionou uma Cadeira Eames DSW amarela linda que, vocês sabem, eu amo!

 

 

O mais legal é que ela conseguiu criar vários cenários de gravação para mim, como essa parede com papel de estampa floral, quadrinhos fofos e um letreiro luminoso com o nome do blog (já quero um igual)! Ela também acrescentou um espelho grande ao lado da estante, cujo detalhe fofo ficou por conta das lanterninhas decorativas!

 

 

Não ficou mesmo a minha cara? Eu amei as cores que ela usou, a combinação do moderno com o romântico, enfim, amei todos os detalhes e já estou sonhando com o meu quarto assim, desse jeitinho, um dia!

 

E, ah, a Thais faz projetos de interiores para o Brasil inteiro, gente. Quem quiser contratar o trabalho dela, é só mandar um e-mail para [email protected] ou ligar para (18) 99779-2573. Vocês também podem acompanhar mais do trabalho dela lá no Instagram (@arq.thaisdeabreu) e no Facebook.

 

Leia mais sobre decoração.

Se você também ama procurar tendências e inspirações de decoração lá no Pinterest, provavelmente já está familiarizada com ambientes – principalmente banheiros e cozinhas – com esse tipo de revestimento hexagonal tipo colmeia. Em 2015, ele já era uma das grandes apostas para a decoração e, desde então, só se popularizou mais.

 

 

Inspirado no trabalho das abelhas, o revestimento hexagonal lembra uma colmeia. Hoje é possível encontrar esse revestimento em diferentes tamanhos, cores, estampas, texturas e materiais no mercado, desde pequenas placas de pastilhas de vidro ou cerâmica até placas de concreto e peças em alto relevo. Na parede do banheiro ou no chão da cozinha, os revestimentos hexagonais são uma ótima opção para quem quer fugir dos formatos tradicionais e inovar!

 

LEIA TAMBÉM

Revestimentos 3D: a nova tendência para revestir paredes!

 

Foto: pinwin

 

Confesso que não é de hoje que venho reparando nesse tipo de revestimento e a cada dia fico mais apaixonada. Adoro particularmente as pequenas pastilhas de vidro na parede do banheiro e a composição de peças hexagonais no chão da cozinha, formando uma espécie de degradê. Um detalhe na parede da sala ou do quarto, principalmente com hexagonais estampados, também fica muito lindo!

 

 

E vocês, gostam desse tipo de revestimento hexagonal que lembra uma colmeia?

 

Leia mais sobre construção e reforma.

Páginas12345... 335»